quarta-feira, 13 de julho de 2011

Festival Sagres


Gregos expurgam a crise
Com saxofone e Neruda
Então alguém que analise
Para concluir se isso ajuda

Se o resultado fôr positivo
Aplicá-lo-emos em Portugal
Declama-se poeta no activo
E faz-se um grande festival

Que animará a economia
E para melhorar o resultado
Sem ser à custa de milagres

Divulga-se na rádio telefonia
Este grande evento planeado
Com o patrocínio da Sagres.

2 comentários:

Maria Luisa Adães disse...

Ensinamos o culto
da cultura!

E sem fanatismos
de sermos os melhores,

Abrimos outros caminhos
escolhemos outras gentes
e caminhamos
contra o vento, contra as marés.

Abrimos o mapa
fazemos um caminho inverso
diferente dos outros
e estudamos
uma nova forma de estar
uma nova forma de ser.

E ganhamos com Neruda
E porquê Neruda?
E não Luís de Camões
de quem ninguém fala
e a quem ninguém conhece?

Então, precisamos da cultura
e também dos poetas...

Maria Luísa

pekenasutopias disse...

Quando o Poema nasceu
nasceu o homem também
mas ninguém lhe prometeu
que um bom poeta era Alguém...

Lá vai percorrendo a História
com poemas na bagagem
o Homem cuja memória
traça a história de uma imagem...

Mas, porque o Poeta existe,
existe o desassossego
que nos não deixa parar,

Não dá tempo pr`a estar triste,
nem concede o desapego
de estar vivo e não criar! :)

Este saiu em sonetilho, Poeta! :)